"Eu não sou uma sonhadora. Só devaneio para alcançar a realidade!" C.Lispector

sábado, 21 de março de 2009

pessoas se auto-esmagando diariamente para sobre[viver]: eis aqui a definição de ônibus circular.

13 comentários:

  1. Pode ter certeza disso! Por isso que eu não pego ônibus lotado haha

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Valeu pelos comentários, Verônica. Sobre a paz/explosão, seria uma explosão de alegria, fogos de artifício, coisa do tipo.

    O teu tá muito massa também. Sempre que dê, vou dar uma sacada por aqui. Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Verônica? De onde eu tirei esse nome? Hahahaha. Vacilo meu, Jéssica, foi mal. :D

    ResponderExcluir
  4. sahsuahsuashau adorei!!! eu bem sei que isso é verdade!

    ResponderExcluir
  5. risos...

    mais um pedaço da realidade.

    ResponderExcluir
  6. linkei seu blog no meu, se quiser dar uma olhada:

    http://jornalistando.awardspace.com/wordpress

    PS: aqui quem fala é o murilo do poemaspodres ;)

    ResponderExcluir
  7. Bacana demais teu blog, gostei e se me permitires estarei sempre a te visitar...

    Gosto de viajar por este universo dos blogs, descobrindo novas estações... Só que, nestas viagems, confesso sem hesitações, vou solitário, não pego "busão" lotado não... Arre! Ninguém merece, não é mesmo!!!

    Tenhas uma ótima pascoa!

    ResponderExcluir
  8. ooooootemo..

    vivo isso todo dia..

    torturante dimais...

    ResponderExcluir
  9. Vem me assistir nessa quarta, Jéssica!

    Passa no Velho pra saber mais!

    Beijão!

    ;-)

    ResponderExcluir
  10. Hahaha...acho que não só de ônibus circular. A não ser que se possa chamar assim também o mundo. Afinal ele também é circular em muitos sentidos, e "tá assim de gente", hehehe!

    ResponderExcluir
  11. vivemos nesse sistema, que se reflete no nosso dia-a-dia... pessoas se esmagam à todo o tempo, pisam-se umas nas outras... e não é só no circular!

    bjoss

    ResponderExcluir

"Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando - até que não caibo em mim e estouro em palavras." - C. Lispector