"Eu não sou uma sonhadora. Só devaneio para alcançar a realidade!" C.Lispector

quarta-feira, 18 de junho de 2008




Quem dera gritar à você
Tudo que quero e calo
Quem dera fazer chover
Nos teus olhos secos e claros

Ao simples olhar de relance
Queria te fazer suspirar
E cantar dentre as noites errantes
Que é só meu o teu amar

Venha, não tenha medo do amor
Não tema o que ele pode fazer
Qualquer amor tem valor
Qualquer vontatade tem um disfarçado prazer

Seja meu amigo, meu amante,
Seja tudo o que puder ser!
Carregue-me em teus braços, galantes
Morra comigo ao amanhecer.

25 comentários:

  1. Ufa!! Caraca, vc demora a postar, mas quando vem, vem com peso hein... lindo poema, mas lindo MESMO!! É impressionante a sua capacidade técnica de escrever poesias com sentimentos, bem rimadas (oq é dificílimo) e com métrica... fora isso, vc consegue falar de amor da forma mais intensa e verdadeira possível!!! PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  2. Seu poema é simplesmente lindo. Simples e puro. Como deveria ser todo o poema. Não desmerecendo os que são mestres nas unitilidades das palavras rebuscadas.

    E sua invasão é mais que bem-vinda.

    Beijão!

    P.S.: Ah, sim. E foi pensando na Clarice que escrevi este conto. Claro, que não chegou aos pés dela. Mas...

    ResponderExcluir
  3. eu acho que não precisa ter sentido.

    ResponderExcluir
  4. Que lindooo adorei o que vc escreveu!
    AIII MUITO LINDO..

    HAhaha ótimo jeito de falar que não precisa estudar muito ne!
    hahaha
    beijo

    ResponderExcluir
  5. Jéssica, a unica coisa que eu consigo dizer agora é: que lindo!
    Seu poema é adoravel. Impressionante como voce consegue falar de amor, de forma simples e bela.
    Beijjooss

    ResponderExcluir
  6. Oi, Jéssica!Que lindo este poema! Gsotei muito!Parabéns! Bjos e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  7. Lindo, lindo.
    Eu tenho uma admiração muito especial por quem sabe fazer rimas...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Jé! Voltei a postar, depois desse tempão! hehehe, precisava mesmo é de tempo pra pensar!
    beijão! saudade!

    ResponderExcluir
  9. Realmente lindas, as palavras!
    O texto reforçou meu momento 'sentimental', obrigada pela visita ao meu blog, estarei passando por aqui por vezes, aposte nisso!
    bjos!

    ResponderExcluir
  10. p.s: permissão para deixar sue blog entre meus 'click's', cedida?
    bjo!

    ResponderExcluir
  11. grita, menina!
    solta aí tua voz melíflua!

    que qualquer amor não é qualquer...
    e isso vc disse e é totalmente verdade...


    beijos daqui...

    ResponderExcluir
  12. ai que vontade de gritar com você !
    .
    ficou lindo o poema, benzadeus!
    .
    beijocas

    ResponderExcluir
  13. Quem me dera... quem me dera...


    Beijos querida,
    Bárbara

    ResponderExcluir
  14. Eu querio ter esse poder tbm...

    beijos

    belo texto.

    ResponderExcluir
  15. Lindo! Fiquei até arrepiada!

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Esse final me remete a Romeu e Julieta.

    Como sempre, muito bom!

    Abç!
    brigadão pelas visitas;

    ResponderExcluir
  17. ola bonito blog passe tb pelo meu bjs.

    ResponderExcluir
  18. Aaaaiiiiiii, que lindo! Melancólico, sensual e cheio de pureza, como vc consegue?! Amei, bjo, querida!

    ResponderExcluir
  19. Belo texto...
    ...Bonitas palavras!

    Bjo e ate maiss..

    ResponderExcluir
  20. Amei o poema!
    Vc escreve coisas muito bonitas!
    Tenha uma otima semana!

    Bjoo

    (**

    ResponderExcluir
  21. Lindo.. jé.. esse poema caiu como uma luva... rsrsrs perfeito ! Parabens. amo vc!!!!

    ResponderExcluir

"Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando - até que não caibo em mim e estouro em palavras." - C. Lispector