"Eu não sou uma sonhadora. Só devaneio para alcançar a realidade!" C.Lispector

terça-feira, 1 de abril de 2008

.paraíso perdido.


Um jardim de luz
Ilumina as flores da minh’alma
Para o mundo me conduz
Carregando-me em sua cálida palma

É um sentimento surreal
Vejo-me flutuando entre verdes
Vejo-me numa forma não-carnal
Sou luz, sou força. Credes?

Sigo em frente sem saber
Guiada por um invisível pulsar
Alucinada sem querer
Sentindo um indescritível bem-estar

As águas límpidas, de uma fonte escura
Jorram de algum lugar escondido
Limpam e lavam-me com candura
Afogando-me num paraíso perdido.

8 comentários:

  1. Nossa, tudo pareceu tão místico nesse texto.
    Amei.
    "Afogando-me num paraíso perdido." - lindo!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Quase que esqueço, sou do signo de áries. Hahaha

    ResponderExcluir
  3. Senti tomar um banho de cachoeira em forma de palavras... nossa, é impressionante o quanto vc tem crescido enquanto poeta. Está cada vez mais gostoso ler-te. BRAVO! Bjos!

    ResponderExcluir
  4. - ex tensa casual melan colia do destino

    comum

    e na da mais

    - entretanto

    dia após dia

    tardes:

    ResponderExcluir
  5. É, to precisando achar um paraíso desses.

    Parabéns, tá cada vez melhor.

    Bejo.

    ResponderExcluir
  6. divino.
    Lendo a historia das flores da alma lembrei uma letra do Barao Vermelho que fala

    "Mas se você quiser, eu bebo o seu vinho
    Mas se você quiser sou pedra, flor e espinho."

    legal tambem

    ResponderExcluir

"Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando - até que não caibo em mim e estouro em palavras." - C. Lispector